Imprimir

Sucessão de falas radicais do clã Bolsonaro dá tração a articulação pró-Haddad

O candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT) durante campanha em encontro com catadores da Cooperativa Coopamare, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

 

Painel

Peixe morre pela boca A sucessão de falas radicais do clã Bolsonaro (PSL) deu tração à tentativa do PT de organizar uma frente a favor de Fernando Haddad na reta final da eleição. Depois de Eduardo Bolsonaro tecer comentários sobre o fechamento do STF, e Jair, o patriarca, insinuar perseguição a opositores em discurso na av. Paulista, ala do PSDB decidiu discutir a elaboração de um manifesto. Um aliado dos petistas resumiu: com seus rompantes, os Bolsonaro vão construir a aliança que Haddad não conseguiu.

 

Grife O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participa das discussões sobre o documento em defesa do Estado Democrático de Direito. Haddad telefonou para ele nesta segunda-feira (22). O PT também previa um telefonema ao ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Queda de braço Ministros do Supremo que já estavam estupefatos com a fala de Eduardo Bolsonaro também manifestaram incômodo com os termos do discurso de Jair Bolsonaro. “Até aqui, seguiram a regra do jogo. Se usarem o poder para perseguir adversários, usaremos mecanismos legais”, disse um integrante da corte.

Pegou gosto Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fez, dias depois da polêmica palestra em que falou sobre o fechamento do STF, discurso de enfrentamento à corte em uma audiência pública sobre a importância do voto impresso. Foi em 12 de julho.

Pegou gosto 2 “Tenho uma coluninha semanal no jornal Hora Extra. E uma das matérias (sic) que coloquei lá é o seguinte: ‘Pensar fora da caixinha para derrubar a ditadura do STF'”, disse. “Fica ao gosto deles, não se analisa mais a constitucionalidade”, criticou.

Pegou gosto 3 “Acredito que, caso o próximo presidente venha a tomar medidas contrárias ao gosto desse STF, eles vão declarar inconstitucional, e aqui a gente não vai se dobrar a eles, não”, prosseguiu.

Grand finale “Quero ver alguém reclamar quando estiver num momento de ruptura mais doloroso do que colocar dez ministros a mais na Suprema Corte. Se esse momento chegar, quero ver quem vai pra rua fazer manifestação pelo STF”, concluiu. No último domingo (21), ele rechaçou ter falado a sério sobre o fechamento do tribunal.

Junte-se a ele Ganha força no PSL a tese de que seria vantajoso manter Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Câmara e nomear Mendonça Filho (DEM-PE) ministro da Educação num gesto ao centrão.

Cada um na sua O grupo que elabora propostas de governo para Jair Bolsonaro sugeriu a ele que mantenha o Ministério da Segurança como organismo autônomo e apartado do Ministério da Justiça.

Em causa própria A Ajufe (Associação dos Juízes Federais) pediu encontros com representantes das campanhas de Jair Bolsonaro e de Fernando Haddad para levar demandas da categoria, como alterações na estrutura remuneratória da Justiça Federal.

Para constar Os magistrados da entidade também vão pedir compromisso dos presidenciáveis com o Estado de Direito.

Dobrar a aposta O ministro Bruno Dantas, do TCU, solicitou a inclusão do processo que pode inserir a OAB na lista de entidades auditáveis pela corte na pauta de julgamentos.

Paga? O presidente do tribunal, Raimundo Carreiro, havia sinalizado sortear novo relator. Dantas avisou que está com o voto pronto e que toda a instrução técnica já foi feita. A OAB, em notas sobre o assunto, tem sustentado que já possui mecanismos para que os associados possam atestar a regularidade das contas.

Visita à Folha Marcelo Furtado, diretor-executivo da Fundação Alana, Camila Lissa Asano, coordenadora de programas da Conectas, e César Muñoz, pesquisador da Human Rights Watch Brasil, visitaram a Folhanesta segunda (22). Estavam acompanhados de Marina Atoji, gerente-executiva da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo).


TIROTEIO

Os arroubos ditatoriais fazem com que Bolsonaro se pareça com Drácula. Debate público, à luz do sol, é mortal para ele

Do governador Flávio Dino (PC do B-MA), sobre o discurso do candidato a manifestantes que apoiam sua candidatura em SP

 

 

 

Fonte: Folha de S.Paulo, 24 de outubro de 2018.