-->


Sistema Mediador
Solicitação de Registro de Instrumento Coletivo
Legislação
Leis, Atos, Decretos, Portarias, e Resoluções do MTE
Dúvidas Trabalhistas
Férias, Horas Extras, Salário, Outros...
FGTS: Movimentações via SMS
Folder e Formulário
ASSÉDIO SEXUAL
Cartilha
PISO SALARIAL
Piso Mínimo Regional do PR


Veja Mais Fotos


 Jornada de 40 HORAS
Imprimir PDF

Sob ameaça de Bolsonaro, MST e MTST confiam que ódio será derrotado

O candidato à presidência da República Jair Bolsonaro ameaçou neste domingo (21) de enquadrar como terroristas o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST). Dirigentes das entidades ouvidos pelo Portal Vermelho repudiaram a declaração e se mostraram confiantes de que a chapa Fernando Haddad e Manuela d’Ávila vai derrotar o ódio no próximo domingo, dia 28.

Por Railídia Carvalho

MSTBolsonaro quer enquadrar MTST e MST como terroristasBolsonaro quer enquadrar MTST e MST como terroristas

 

 

“Estamos confiantes na vitória do Haddad. A sociedade brasileira não é fascista e reacionária a esse ponto”, afirmou Alexandre Conceição, da Coordenação Nacional do MST. De acordo com Natalia Szermeta, do MTST, “as ruas estão quentes” contra Bolsonaro. “Temos conversado bastante e as pessoas começam a entender que o que está em jogo não é o partido x ou y mas é o futuro de gerações. Sabem que a desigualdade não se enfrenta com ódio”, avaliou Natália.

O final de semana foi marcado por manifestações pacíficas da campanha pró-Haddad e outros atos em favor de Jair Bolsonaro, como na avenida Paulista, em São Paulo. Por telefone, Bolsonaro entrou ao vivo no ato da paulista em um telão: "Bandido do MST e bandido do MTST, suas ações serão tipificadas como terrorismo!". 

Para Alexandre, a candidatura de Bolsonaro se sustenta em mentiras e iludiu uma parcela da população. Na opinião dele, esse caminho pode levar o Brasil a uma guerra civil. 

“Não temos medo de enfrentar esse tipo de ameaça, enfrentamos governo golpista, enfrentamos a ditadura, enfrentamos o latifúndio há 500 ano. Os governos passam e a luta pela terra continua. Vamos agindo com inteligência para derrotar essa ameaça nas urnas”.

De acordo com Natália, o recado de Bolsonaro em vez de amedrontar os movimentos vai fortalecer. “Vai fazer com que a resistência e a luta sejam ainda maiores. Não vão nos intimidar e muito menos fazer calar a voz daqueles que sempre estiveram na luta pela democratização do país”.

A dirigente do MTST avaliou que o Brasil vive um processo de descrédito das instituições desde o impeachment. “Bolsonaro é fruto disso. O filho dele afrontou a Suprema Corte (STF) que é quem garante os direitos constitucionais". 

Em vídeo publicado nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro afirmou que bastaria “um soldado e um cabo para fechar o STF”. Reeleito para a Câmara Federal, o filho de Bolsonaro faz a ameaça considerando a hipótese de o Supremo impugnar a candidatura do pai.

"Sujeitos boçais como Bolsonaro ganham força no Brasil também porque as nossas instituições estão falidas. O nosso sistema jurídico deu provas nos últimos tempos que tomou o lado oposto ao da garantia dos direitos iguais. Tomou partido e politizou o debate. Deu mais força para que pessoas como Bolsonaro afrontassem as instituições sem se preocupar com as consequências”, completou Natália (na foto ao microfone).






Leia também:



 

 

 

Do Portal Vermelho, 24 de outubro de 2018.

 


CNPJ: 81.104.341/0001-09 | Código Sindical: 913.000.000.03342-5
Rua Hildebrando de Araújo, 429 – Jd. Botânico | CEP 80.210-260 – Curitiba/PR
Fone/Fax: (41) 3362-7778 | Email: sesocepar@sesocepar.org.br