-->


Sistema Mediador
Solicitação de Registro de Instrumento Coletivo
Legislação
Leis, Atos, Decretos, Portarias, e Resoluções do MTE
Dúvidas Trabalhistas
Férias, Horas Extras, Salário, Outros...
FGTS: Movimentações via SMS
Folder e Formulário
ASSÉDIO SEXUAL
Cartilha
PISO SALARIAL
Piso Mínimo Regional do PR


Veja Mais Fotos


 Jornada de 40 HORAS
Imprimir PDF

Falta de correção na tabela do IR amplia extorsão contra salário do trabalhador

Todo ano, o sindicalismo cobra do governo o envio ao Congresso Nacional de proposta de correção da tabela do Imposto de Renda pessoa física pela inflação passada. Porém, desde 2015 a tabela não foi corrigida, fazendo com que os assalariados paguem mais impostos.

 

Segundo o economista Rodolfo Viana, da subseção do Dieese no Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região, um trabalhador que hoje ganha dois salários mínimos (R$ 1.908,00), “já tem imposto de renda descontado em seu holerite”. A faixa de isenção atual vale para quem ganha até R$ 1.903,98.

 

                      

Resultado de imagem para imposto de renda

                  

 

Como o Orçamento de 2018 deixou de incluir um reajuste na tabela, a defasagem acumulada desde 1996 alcançou 88,4%. “Com o reajuste da tabela, a faixa de isenção do imposto de renda subiria para, no mínimo, 3,7 salários mínimos, ou R$ 3.556,56", explica Rodolfo.

 

O economista disse à Rádio Web Agência Sindical que esta não é a única injustiça do IR contra os trabalhadores. Outra iniquidade são as alíquotas que incidem sobre o imposto. “Acima de R$ 4.664,68 mensais, é a mesma de quem ganha dez salários. Isso é uma injustiça. Quem ganha mais deveria pagar mais e quem ganha menos deveria ter um desconto menor”, diz.

 

Rodolfo Viana, economista

          

 

Rodolfo Viana também falou sobre outras consequências para o trabalhador. “Todo o esforço do Sindicato, que entra em campanha salarial, luta por aumento, consegue fechar uma negociação coletiva, acaba sendo prejudicado. Com o aumento de salário, ele pode subir de faixa no desconto e, muitas vezes, acaba recebendo menos”, completa.

 

Faixas - A tabela do Imposto de Renda tem quatro alíquotas. Começa com 7,5% de desconto na fonte, para renda de 1.903,99 até 2.826,65; sobe a 15% na faixa entre 2.826,66 até 3.751,05; passa para 22,5% entre 3.751,06 até 4.664,68; e acima de 4.664,68 bate em 27,5%.

 

Clique aqui e veja Nota Técnica do Dieese sobre a tabela do IR.

           

 

 

 

 

Fonte: Agência Sindical, 20 de fevereiro de 2018

 


CNPJ: 81.104.341/0001-09 | Código Sindical: 913.000.000.03342-5
Rua Hildebrando de Araújo, 429 – Jd. Botânico | CEP 80.210-260 – Curitiba/PR
Fone/Fax: (41) 3362-7778 | Email: sesocepar@sesocepar.org.br